Questão de Evolução resolvida e comentada

evolução enem questão
evolução enem questão

Alô, galerinha do MundoEdu! Já estamos engrenados nessa corrida rumo ao topo do ENEM? Hoje escrevo pra vocês uma questão de Evolução resolvida e comentada para o ENEM. Vamos aproveitar que a gente já tem todas as aulas de bioquímica no nosso Plano de Estudos de Biologia pra resolver essa questão da 1ª aplicação do ENEM de 2016 sobre a origem da vida


Questão:

Apesar da grande diversidade biológica, a hipótese de que a vida na Terra tenha tido uma única origem comum é aceita pela comunidade científica. Uma evidência que apoia essa hipótese é a observação de processos biológicos comuns a todos os seres vivos atualmente existentes. Um exemplo de tal processo é o(a)

A) desenvolvimento embrionário.

B) reprodução sexuada.

C) respiração aeróbica.

D) excreção urinária.

E) síntese proteica.


Como resolver?

Ora, seres vivos diferentes compartilham características em comum. Cães, gatos, vacas e humanos têm pelos, útero e glândulas mamárias. Agora, pense comigo. O que é mais provável: que essas características tenham surgido de forma independente em cada um destes animais ou que a característica tenha surgido num ancestral?

Da mesma forma que irmãos são mais parecidos que primos e primos podem ser mais parecidos que completos estranhos, as semelhanças podem indicar relações de “parentesco” entre as espécies. Nós podemos procurar características compartilhadas pra determinar essas relações porque é mais seguro assumir que essas características tenham surgido uma vez e tenham sido passadas de geração em geração do que assumir que elas tenham surgido de forma independente várias vezes (embora isso às vezes aconteça).

Assim, nós assumimos que cães, vacas, gatos e humanos fazem parte do mesmo grupo que tem um único ancestral em comum por compartilharem as características que eu já mencionei. Este grupo (dos mamíferos) não inclui lagartixas e papagaios porque estes animais não possuem glândulas mamárias, pelos e útero. Mas os mamíferos, lagartixas e papagaios possuem anexos embrionários e quatro membros, o que nos faz pensar que eles podem fazer parte de um grupo maior (tetrápodos), que não inclui os peixes, e assim por diante.

Biólogos que fazem esse tipo de comparação são chamados de taxonomistas.

Eles são os responsáveis por classificar os organismos com base tanto em características anatômicas (presença de pelos, número de membros) quanto por características do desenvolvimento embrionário, características fisiológicas ou, mais recentemente, comparando genomas.

Frequentemente, taxonomistas representam suas descobertas em diagramas chamados “cladograma”, que são uma espécie de “árvore genealógica” dos organismos. No caso do nosso exemplo, o cladograma ficaria assim:

Reta na diagona, em sua extremidade superior está escrito: vaca, cão gato, humano. Essa reta é encontrada por outras duas retas, nesse encontro, na primeira reta, está escrito "b", nesse reta está escrito em sua extremidade: laragtixa, papagaio. No segundo encontro (segunda reta) está escrito "a" e está escrito em sua extremidade: peixe.
Cladograma

A primeira coisa que você precisa entender é que eles:

Cladogramas são lidos de baixo para cima, não da esquerda pra direita.

O que estiver mais em baixo é mais antigo, e o que está mais em cima é mais recente. Veja que todos os animais que foram citados fazem parte de alguma “ponta” dessa árvore, o que quer dizer que nenhum deles é mais “primitivo” do que o outro!

Os círculos nas bifurcações representam os nós, que são ancestrais hipotéticos (ou seja, a gente pode ou não ter encontrado um fóssil assim) que dão origem a um determinado grupo. O ancestral “a” deu origem ao grupo que contém o peixe, o papagaio, a lagartixa, a vaca, o cão, o gato e o humano. O ancestral “a” NÃO era nenhum desses animais: ele era de uma outra espécie que deu origem a todos esses organismos diferentes.

Ficou confuso? Dá uma olhada no ancestral “b”: ele deu origem ao grupo que contém vaca, cão, humano, gato, lagartixa e papagaio. O ancestral “b” não era nem lagartixa, nem papagaio, nem qualquer outro dos animais mencionados. Já imaginou uma lagartixa sendo mãe de um papagaio ou de um bezerro? O ancestral “b” era de uma outra espécie, que com o tempo foi tendo descendentes que acumularam modificações diferentes. Algumas modificações levaram ao papagaio; outras, ao cachorro.

Essas características são representadas pelas barras 1, 2 e 3. O ancestral “a” surgiu depois da característica 1 (lembre que o cladograma é lido de baixo pra cima). Assim, o ancestral “a” e seus descendentes possuem a característica 1. A característica 2 surgiu depois de uma divisão nos descendentes do ancestral “a”: um ramo deu origem aos peixes, enquanto no outro ramo surgiu a característica 2 (possuir quatro membros). Depois disso, surgiu o ancestral “b”, e uma nova divisão aconteceu: alguns descendentes de “b” apresentam a característica 3 (útero e pelos), mas outros não.

E o que isso tem a ver com a questão?

O ENEM está te perguntando sobre processos biológicos comuns a todos os seres vivos. Ele quer saber a característica que existia no ancestral comum a todos os seres vivos, o primeiro nó da grande árvore da vida. Agora nós sabemos que este primeiro ancestral (que os cientistas chamam de LUCA, do inglês last unicellular common ancestor), não pertence a nenhum grupo de organismo existente: nem Monera nem Protista, Animalia, Plantae ou Fungi. Mas algumas características básicas de LUCA são encontradas em todos os organismos e são a evidência de que toda a vida que existe hoje veio de um único ancestral. E é essa a relação entre a organização estrutural e sistemática dos seres vivos de que a gente falou nessa videoaula:

videoaula organização seres vivos evolução


Vamos a resposta:

a) desenvolvimento embrionário: isso só faz sentido em organismos pluricelulares, e existem váááários organismos de uma célula só. Unicelulares não possuem embrião, então esta característica surgiu mais tarde na História da vida.

b) reprodução sexuada: é o mesmo caso da alternativa “a”: não existe reprodução sexuada em milhões de espécies unicelulares, então esta não pode ser a alternativa certa.

c) respiração aeróbica: a vida surgiu no fundo do mar, sem acesso a oxigênio gasoso. Na verdade, os níveis de oxigênio na atmosfera eram muito baixos quando a vida surgiu. O ar começou a ficar rico nesse gás só depois do surgimento da fotossíntese.

d) excreção urinária: ih, piorou! Nem todos os animais fazem excreção urinária (águas-vivas e esponjas, por exemplo, não fazem). Isso sem falar nos outros Reinos, onde nenhum organismo urina.

e) síntese proteica: finalmente! Em todos os organismos existentes hoje, a síntese de proteína segue o mesmo processo básico de tradução em ribossomos, com códons e RNA transportador seguindo o mesmo código genético.

Se restou alguma dúvida Pergunte!


Então é isso aí, galerinha!

Continue seguindo o Plano de Estudos, lendo o Blog e fazendo os exercícios.

Só assim você chega no #TopoDoENEM!

Mais de Professor Guerra

Questão de Evolução resolvida e comentada

Alô, galerinha do MundoEdu! Já estamos engrenados nessa corrida rumo ao topo...
Ler mais