A física no salto em altura e no salto em distância

A Física dos Saltos

Saaaaaaaaaaaalvem queridões do MundoEdu!!! ✌️

Já que 2016 foi o ano das olimpíadas no Brasil, quem sabe vamos falar sobre algumas modalidades, mas claro, do ponto de vista da Física…

Até porque nenhum, eu disse NENHUM, professor do MundoEdu tem cara de praticar atividade física!! 😂 Vamos falar aqui sobre o salto em distância e o salto em altura… Mas pra começarmos, vamos voltar até 1674, primeiramente e entender a teoria de Galileu sobre esses movimentos…

 

Até a época de Galileu, pensava-se que um corpo lançado obliquamente ou horizontalmente em relação ao solo movimentava-se em linha reta e com velocidade constante, devido ao seu “impetus” que, no caso do lançamento oblíquo, servia também para ele ganhar altura, e quando acabava o corpo começava a cair.

Hoje, sabemos que todos os corpos se movimentam próximo a superfície da Terra, 🌎 sem contato com o solo devido a qualquer tipo de lançamento, sujeitos apenas a força de atração gravitacional que ela exerce sobre eles, chamada também de força Peso, acelerando qualquer corpo em direção ao solo. Isso significa que corpos lançados obliquamente ou horizontalmente se movimentam em trajetória parabólica e com velocidade variável em relação ao solo.

Galileu concluiu também que todos os movimentos parabólicos são resultantes de dois movimentos, simultâneos e independentes, um na direção horizontal (MRU) e outro na direção vertical (MRUV).

Duas provas de atletismo exigem dos atletas uma perfeita combinação de movimentos horizontal e vertical: são as provas de salto em altura e salto em distancia. Nessas duas modalidades, os atletas necessitam combinar a velocidade inicial com o ângulo de salto.

A imagem mostra o processo do salto em altura, no qual é importante que o ângulo do salto com a horizontal seja próximo de 90°.
Figura 1

No salto em altura (Figura 1), que tem como objetivo o atleta passar seu corpo por cima de um sarrafo colocado a certa altura do solo, o importante é o atleta conseguir, no instante do salto, uma velocidade vertical máxima que o eleve acima do sarrafo e uma velocidade horizontal mínima o suficiente para transpor o sarrafo. Para isso, o ângulo do salto com a horizontal deve ser próximo de 90°.

Figura 2
Figura 2

No salto em distância (figura 2), cujo objetivo é atingir a maior distância possível na horizontal, o atleta necessita conseguir, no instante do salto, além de uma boa velocidade horizontal, também uma boa velocidade na vertical. Para isso, o ângulo do salto deve ser de 45°.

Bueno, só de explicar já fiquei cansado 😅… E você?

Bons estudos!!

.

Gostou do texto? Compartilhe com os colegas! 😉

Mais de Professor Vasco

A ciência das lentes

Olá, meus queridões do MundoEdu. Hoje vamos falar sobre as lentes, a...
Ler mais